Museu de esculturas submarinas ajudará a preservar corais no México

Por Redação | Arte Exposição

07_MHG_cancun23

Acaba de ser inaugurado um museu subaquático com mais de 200 esculturas de pedra assinadas pelo artista Jason De Caires Taylor em Cancún, no México. “Minha vontade é construir um cenário impressionante onde se possa nadar através de um mar de rostos”, disse o artista, cuja obra é composta por estátuas de pedras, a grande maioria delas em formato humano. Depois de submersas, as peças passam a interagir com vida marinha e, com o tempo, sua aparência e cor vão se modificando, deixando claro que o artista já não tem nenhum controle sobre sua obra. Mas este é exatamente o objetivo. Ao “afundar” suas esculturas, Taylor espera criar um suporte para os corais marinhos da região, ameaçados pelo turismo intensivo. Como elas são feitas em material anticorrosivo e de baixa acidez, o esperado é que com o tempo as estátuas se transformem em verdadeiros recifes.

Sua missão é, desde 2009, preservar o lugar como uma área exclusiva onde uma variedade de espécies de peixes e crustáceos possam alimentar-se sem o risco de serem incomodados por praticantes de scuba-diving e outros tipos comuns entre as legiões de turistas que visitam a mítica praia caribenha durante todo o ano.

O material de que é feito essa armada escultórica, diz seu autor, é um tipo especial de cimento, de PH neutro, que respeita a biologia das águas caribenhas onde ela está submersa há três anos. Embora sua constituição seja impenetravelmente pétrea, cada uma das figuras carrega uma história sentimental, infundida por seu criador. “O conjunto da obra representa a idéia de seres humanos vivendo em simbiose com a natureza”, diz o artista que, para realizá-la inspirou-se na obra de ícones desse tipo de arte, como Christo, Jaume Plensay, mas sobretudo na paisagem submarina.

caires-taylor-people fall-from-grace-1 jason8

O museu de Cancún não é o primeiro projeto do gênero criado por DeCaires, mas é sem dúvida o mais ousado e monumental. Em 2006, o artista desenvolveu o primeiro parque escultórico submarino do mundo, em Granada, a ilha situada na região nordeste da Venezuela. Antes, ele já havia realizado projetos de arte terrestres no Reino Unido e na Grécia.

Atualmente, essa aventura ecoartística recebe uma média de 3 mil visitantes por semana. Para ver o museu, é necessário apenas usar óculos especiais e algumas lições de mergulho ou utilizar os serviços de barcos com piso de vidro que navegam na superfície permitindo a visão do museu através das águas cristalinas do Caribe.

As esculturas de DeCaires são forjadas em terra, no estúdio que ele montou na região de Cancún. “Procuro fazê-las o mais pesadas possível – cinco toneladas é o peso médio de cada obra – para que possam suportar furacões ou qualquer tipo de desastre natural. Para submergi-las ele usa uma grua controlada por um grande trator. Com o tempo e a ação do mar, o cimento de que são construídas as figuras se transforma numa espécie de coral, transformado o exército de esculturas numa réplica de arrecife. Além de alteradas pela água, as obras mudam de aspecto dependendo da hora do dia em que são visitadas.

O museu de arte submarina de Jason DeCaires Taylor . Veja o vídeo:

Parque projetado por Louis Kahn é inaugurado em Manhattan

Por Redação | Arquitetura

Parque Four Freedoms, último projeto do arquiteto modernista Louis Kahn (1901-1974) foi idealizado em homenagem ao ex-presidente dos Estados Unidos, Franklin Roosevelt. Quando projetado, em 1974, a construção não foi possível devido à crise econômica. Mas, após mais de 30 anos, um grupo de cidadãos resolveu se reunir e tirar o desenho do papel.

Parque-por-Louis-Kahn-inaugurado-em-NY

Localizado na extremidade da ilha Welfare Island, East River, então rebatizada como ilha Roosevelt, o parque segue a linguagem minimalista, com formato retangular, delimitado por duas linhas de árvores e uma pequena praça quadrada que se estende para além da própria ilha, proporcionando um espaço para contemplação da vista e repouso.

Parque-por-Louis-Kahn-inaugurado-em-NY-2 Parque-por-Louis-Kahn-inaugurado-em-NY-3 Parque-por-Louis-Kahn-inaugurado-em-NY-6

Mais uma edição do PasseiÔ Conexão !

No dia 16/02/2013, ocorre mais uma edição do PasseiÔ Conexão – resultado de uma parceria entre o Ô de Casa Hostel e o blog Conexão Cultural. O o projeto que começou no inicio de 2012, leva os participantes a conhecerem a pé os espaços de arte nas ruas e galerias da Vila Madalena.

(Foto acima do último passeio em 19/01/2013 – arte de Flavio Rossi)

(Foto acima do último passeio em 19/01/2013 – arte de Flavio Rossi)

Além de ser um interessante passeio, é uma oportunidade para conhecer pessoas de todos os lugares (do mundo e do Brasil). Nessa edição do dia 16 de fevereiro, os visitantes serão levados por Manuela Colombo à praça próxima ao Beco do Aprendiz, ao Beco do Batman, à Galeria A7MA e ao novo espaço O Gangorra. Durante o PasseiÔ, há paradas para fotos e explicações sobre os espaços visitados, e bate papo com os artistas. O trajeto feito a pé, tem duração aproximada de duas horas e é aberto a todos. Pode acontecer em português ou inglês, de acordo com as necessidades do grupo.

542721_393392334089729_1393752943_n

Serviço: 16 de fevereiro (sábado), às 11h00, com duração aproximada de 2 horas. Ponto de encontro: Ô de Casa Hostel – Rua Inácio Pereira da Rocha, 385, Vila Madalena | tel 3063.5216. PasseiÔ: R$10,00. Grátis para hóspedes do hostel. Reserva pelo email: info@odecasahostel.com.

ARTE E SUSTENTABILIDADE NA PRAÇA VICTOR CIVITA

De 2 de fevereiro a 31 de março, exposição ‘Vira-Lata’ mostra materiais recicláveis transformados em obras artísticas.

image004

Um uso mais criativo para objetos do dia a dia é o que propõe a exposição Vira-Lata, de 2 de fevereiro a 31 de março, na Praça Victor Civita. Por meio da temática da reciclagem com arte, artistas plásticos fazem reuso de diversos tipos de latas, entre bebidas, alimentos, tintas e outros. Em conexão com a linguagem de transformação e sustentabilidade da Praça Victor Civita, na mostra o material que geralmente é descartado como lixo torna-se um interessante suporte para, ao todo,  70 obras de arte.

 A ideia do título “Vira-Lata” faz referência na popular raça de cães que vive nas ruas a revirar latas de lixo em busca de alimento, associando tal atitude aos artistas de rua que também promovem a “virada” de diversos muros esquecidos da cidade, transformando-os em belos painéis compartilhados com toda a sociedade.

Expo Vira Lata (3) Expo Vira Lata (6)

• SOBRE A PRAÇA VICTOR CIVITA

Projeto pioneiro na América Latina, inaugurada em 2008, a Praça Victor Civita é resultado da iniciativa do Grupo Abril em parceria com a Prefeitura do Município de São Paulo, o Itaú, a Even Construtora e a Petrobrás. A partir de um espaço com aproximadamente 14 mil metros quadrados e área verde com cerca de 80 árvores, a Praça oferece à população um espaço que propõe uma reflexão acerca da preservação ambiental. Também abriga o Museu da Sustentabilidade, instalado no antigo incinerador de Pinheiros, e desenvolve atividades de educação socioambiental, com cursos, palestras e visitas escolares, além de localização privilegiada e de fácil acesso através de transporte público ou carro. A Praça Victor Civita dispõe de um palco para espetáculos com arquibancada coberta para 300 pessoas, onde ocorrem apresentações musicais, passando pelo rock, samba e música clássica, também espetáculos circenses, aulas de arte, yoga e pilates, além de atividades no centro de convivência para a terceira idade (CIIPE). O projeto foi implementado a partir da iniciativa de reviver uma região degradada pelo acúmulo de detritos ao longo dos anos, uma vez que, entre os anos de 1949 e 1989, o espaço funcionou como centro de processamento de resíduos urbanos. Dentro das normas técnicas de acessibilidade, a área conta com uma exposição permanente sobre as formas, materiais e tecnologias empregadas no tipo de reabilitação ambiental do terreno. Além disso, a Praça Victor Civita conta com soluções arquitetônicas de reuso de água, economia energética e projeto paisagístico educativo. A Praça Victor Civita é aberta diariamente, das 6h30 às 19h, e toda a sua programação é gratuita. Para visita de grupos escolares é necessário agendamento. A Praça divulga suas atividades através do site http://pracavictorcivita.org.br e também  nas redes sociais twitter (@pracavc) e facebook (fb.com/pracavictorcivita). No site, o público pode se cadastrar para receber a newsletter da programação.

• SERVIÇO:

Exposição Vira-Lata

Data: de 2 de fevereiro a 31 de março de 2013. De segunda a domingo, das 8h às 18h

Local: Museu da Sustentabilidade – Praça Victor Civita | Rua Sumidouro, 580, Pinheiros

Contato:  (11) 3031-3689
Entrada Franca

Exposição Global Kitchen: Food, Nature, Culture (Cozinha Global: Comida, Natureza e Cultura).

Global-Kitchen

O Museu de História Natural de Nova Iorque está com a exposição Global Kitchen: Food, Nature, Culture (Cozinha Global: Comida, Natureza e Cultura), contando sobre os hábitos de alimentação de culturas antigas até as mais modernas. A mostra retrata desde métodos ancestrais até os atuais do plantio de alimentos, transporte e preparo da comida em todo o mundo.

Global-Kitchen-2 Global-Kitchen-3

Com uma montagem futurista, foi construída – do piso ao teto – uma fazenda vertical em LED com luzes vermelhas e azuis. Essa instalação convida a interação dos visitantes, possibilitando que eles manipulem o crescimento de melancias fazendo elas quadradas para uma armazenagem mais fácil e prática, por exemplo.

Tornando tudo ainda mais dinâmico, um segundo jardim vertical exibe plantas que são usadas em uma cozinha experimental com itens que podem ser provados pelos visitantes. E, dessa exposição, ninguém sai com fome. Café e chocolate são servidos aos visitantes enquanto eles são instruídos sobre o significado cultural do cultivo dessas sementes.

Global Kitchen: Food, Nature, Culture
Data: até o dia 11 de agosto de 2013
Local: American Museum of Natural History – Nova Iorque
Horário: todos os dias das 10h às 17h45
www.amnh.org

Fonte: Living Design

@gabrielonline

Conheça o projeto: Back To The Future de Irina Werning

A fotógrafa argentina Irina Werning criou um interessante projeto fotográfico chamado “Back to the Future”, onde ela pega uma fotografia antiga de várias pessoas e recria o mesmo espaço, roupas parecidas e a mesma pessoa posando 20 anos depois.

photography-backto-future-past (1) photography-backto-future-past (2) photography-backto-future-past (3) photography-backto-future-past (6) photography-backto-future-past (8) photography-backto-future-past (10) photography-backto-future-past (14) photography-backto-future-past (18)
O sentimento de nostalgia parece nos atingir e então nos percebemos que as mudanças existem, mas alguns traços característicos ainda permanecem em nossas faces.

Beijos, @gabrielonline

Casa Brasileira por D.Pot

Uma reserva de milhares e milhares de quilômetros de montanhas, matas e rios, encravada na serra da Mantiqueira, Minas Gerais, Conceição do Ibitipoca é o cenário natural que envolve a antiga Fazenda do Engenho. Hoje convertida na Pousada Reserva do Ibitipoca, é frequentada por profissionais como Claude Troisgros, criador do menu local, Maneco Quinderé, Marcia Muller e Helio Pelegrino, que participaram do projeto da pousada.  A Dpot convida você a conhecer as belezas naturais e a arquitetura de Ibitipoca em mais um episódio inédito de Casa Brasileira – Temporada de Férias. Neste domingo, às 23h, no GNT.

538963_457901774275348_742186453_n (1)

domingo,03/02, às 23h
segunda, 04/02, às 15h30
quinta, 07/02, às 20h
sexta, 08/02, às 10h, 12h30 e 19h
sábado, 09/02, às 17h30